sábado, 28 de janeiro de 2012

Do baú.

Texto meu que encontrei durante a mudança. Todo o desejo de resolver o mundo entre os 15 e os 17 anos.


Que amanheça a ideia.
Que mude o mundo.
Deixando tudo claro.
Que torne absurdo.


O pior é que ainda concordo, mas não tenho mais essa vontade de gritar.

domingo, 8 de janeiro de 2012

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Sobe de repente, instantaneamente, parece que se liberta deixando um vazio no peito e um nó na garganta. Só quando chega até garganta é possível controlar, para que não chegue até a boca, ou liberte as lágrimas. Mas isto sempre tem um efeito colateral nos olhos, que perdem o pouco brilho que carregam, e encaram a vida sem firmeza alguma. Uma tristeza que não dói, e assim se torna mais forte. Porque a dor dá um caminho a seguir, a tristeza tão só, apenas oprime.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Seca

Secou. Pensei eu.
depois de tudo que se deu,
percebi o rio secar.

Comecei a dissecar,
a vida inteira,
parte e reparte,
parte inteira, parte meia.

Percebi o motivo da seca:
barragem erguida na fonte,
a cada erro, a cada medo.
Deixei-a assim: imponente. 
Sorri, sem voz.
Farei a fonte transbordar
e a correnteza chega mais forte na foz.